Inglês: Frequently Asked Questions

Português: Perguntas mais Frequentes

 


Paulista, paulistano e são-paulino, qual a diferença?

O que é um gentílico e qual a diferença existente entre os termos paulista, paulistano e são-paulino? Veja a nossa seção de perguntas e respostas que mostra a explicação.

Página Inicial / Estados e Cidades

O que é um gentílico?

De acordo com o Dicionário Pliberam, gentílico é o nome designativo da ligação de alguém relativamente ao lugar (país, região, estado, cidade) onde nasceu, habita ou ao qual pertence. Desta forma os termos acima, especialmente os dois primeiros são referências a gentílicos.

O que é paulista?

Paulista é o gentílico de uma pessoa que nasceu no estado de São Paulo, no Brasil. Independentemente se foi na capital ou no interior, este termo é referente ao estado e não à cidade de São Paulo. Ele também é usado para outras coisas além de pessoas, como empresas, organizações, clubes esportivos e outros. Assim quando uma empresa de São Paulo é citada em outros estados, as vezes ela pode ser referida como uma empresa paulista.

O que é paulistano?

 

Paulistano é outro gentílico, mas neste caso, especialmente aplicado às pessoas da cidade de São Paulo e não ao estado. Os paulistanos compreendem o maior grupo de gentílico por cidade do Brasil, uma vez que a capital paulista tem a maior população do país.

Uma das características mais marcantes dos paulistanos é o seu sotaque elegante e inconfundível. A pronúncia é bem mais rápida e facilmente identificável, especialmente por quem não tem convivência diária com eles.

O que é são-paulino?

O termo são-paulino é usado para indicar os torcedores do São Paulo Futebol Clube e talvez a escolha deste termo tenha ocorrido pelo fato de paulista e paulistano já serem usados, como explicado acima.

Existem então três São Paulo?

Sim. Existem três São Paulo e cada um deles identificado de uma forma, como resumidamente colocamos a seguir:

  • São Paulo (estado) = paulista
  • São Paulo (cidade) = paulistano
  • São Paulo (clube de futebol) = são-paulino

Quem nasce em outro estado, mas mora em São Paulo há muitos anos pode ser considerado paulista ou paulistano, caso ele resida na capital?

Em tese não. Paulista seria apenas para quem nasceu no estado de São Paulo, mas por conveniência e questões práticas acontece sim de uma pessoa ser considerada paulista, mesmo não tendo nascido aqui. Esse é o caso do autor desta FAQ, que apesar de ser mineiro se considera hoje paulista por já estar há tantos anos por aqui e ter incorporado a cultura paulista.

O mesmo acontece com paulistano?

Sim. Mas no caso de cidade parece ser mais comum uma pessoa passar a usar o novo gentílico. Neste caso parece consensual de que é paulistano quem mora e vive na cidade de São Paulo, mesmo que a pessoa não tenha nascido ali.

Referências: “gentílico”, in Dicionário Priberam da Língua Portuguesa [em linha], 2008-2013, http://www.priberam.pt/dlpo/gent%C3%ADlico [consultado em 06-12-2016].

Já vi pessoas se referirem à nascidos na cidade de São Paulo como paulistas e não paulistanos. Está errado?

Não necessariamente. Embora este seja o emprego mais usual dos gentílicos (paulista para referir-se ao Estado e paulistano para a cidade), não foi sempre assim. Originariamente, o termo paulista era empregado para se referir aos nascidos na cidade de São Paulo, fundada em 1554 (mais antiga que o Estado, surgido em 1889 com a República, ou mesmo a capitania de São Paulo, fundada no século XVIII). Ainda no aniversário de 400 anos da cidade, em 1954, empregava-se unanimamente o termo paulista para referir-se aos seus habitantes. A partir do seu aniversário de 450 anos (em 2004), entretanto, percebeu-se uma nova tendência dos meios de comunicação em empregar o termo paulistano para os nascidos na cidade de São Paulo. No século XVIII, Pedro Taques de Almeida Paes Leme (1714-1777) publica um livro intitulado Nobiliarquia Paulistana, uma célebre obra genealógica sobre os habitantes da cidade de São Paulo. Apesar de empregar no título o termo paulistano, em diversas passagens do livro refere-se a nascidos na cidade como paulistas. Com isto, entende-se que o título desta obra, Nobiliarquia Paulistana (nobiliarquia=nobreza; paulistana=paulista), nada mais é do que uma forma solene e formal de referir-se aos concidadãos da cidade de Sâo Paulo, no caso e à esta época, os paulistas.


 
 

Veja também

 


© 2017   |   FAQ: Perguntas e Respostas Frequentes